Publicidade

Ensaio Fotográfico

Café du Centre: o charme de Paris em Campo Grande

Café du Centre: o charme de Paris em Campo Grande

Publicidade

Categorias

Entrevistas

Medicina no Paraguai: UCP se transforma na maior universidade do Paraguai

Medicina no Paraguai: UCP se transforma na maior universidade do Paraguai

27/11/2013 às 07:32:00

Jovem que bateu a 170 km/h enviou SMS antes de morrer, diz primo

Segundo a polícia, jovem tentou tirar foto do velocímetro e se acidentou. Velório e enterro aconteceram no Cemitério de Itanhaém, nesta terça (26)

Redacao

O velório e o enterro da jovem Giovana Dias de Souza Alves, de 19 anos, que morreu após tirar uma foto dirigindo a 170 km/h, aconteceram na tarde desta terça-feira (26) em Itanhaém, no litoral de São Paulo. Dezenas de amigos e familiares foram até o cemitério para se despedir da jovem. Eles dizem que Giovana usava muito o celular e mandou uma mensagem para um primo cerca de dez minutos antes do acidente.

Toda a cerimônia fúnebre aconteceu no Cemitério de Itanhaém, no centro da cidade. Cerca de 200 pessoas, entre familiares, amigos e conhecidos, foram se despedir da jovem, que nasceu em Campinas, mas morava no litoral de São Paulo. Giovana completaria 20 anos no próximo dia 2 de dezembro.

O primo dela, Felipe Santos Lima, que tem a mesma idade de Giovana, contou que esteve com a garota no fim de semana e que ela era praticamente uma irmã para ele. "Uma pessoa alegre, sempre animada. Não imaginava. Não dá pra acreditar que isso aconteceu. Ninguém conseguiu dormir, está sendo complicado", disse. Ele também contou que a última vez que falou com a jovem foi pelo celular, que sempre estava com ela. "Ela tinha me mandado uma mensagem 10 minutos antes de tudo acontecer. Ela me amava muito e eu a ela. Muito triste", lamentou o primo.

Caroline da Costa Gonçalves, de 19 anos, também foi se despedir da amiga de infância. "Eu a conheci há 14 anos na escola. Nossa amizade só cresceu. Eu não tenho irmã e ela era tudo pra mim", disse a jovem.

O aposentado Nelson Dias de Souza, tio de Giovana, lembra da sobrinha alegre e dos momentos de brincandeira com ela. "É uma perda grande. É difícil falar no momento. Era uma criança, muito jovem, eu a tinha praticamente como uma filha. É uma perda muito grande, não estávamos esperando. Fica a imagem dela brincando, rindo. Ela era uma pessoa muito divertida, uma pessoa com um astral bom", disse. Ainda de acordo com o tio, Giovana perdeu dois primos em acidentes de trânsito em Cardoso e em Campinas nos últimos três meses.   

Caso
Giovana Dias de Souza Alves, de 19 anos, trabalhava em um banco em Praia Grande. Ela estava voltando para casa, em Itanhaém, quando ocorreu o acidente, por volta das 18h desta segunda-feira (25), no km 315 da rodovia Padre Manoel da Nóbrega. A jovem perdeu o controle da direção e bateu o carro em uma pilastra de sustentação de uma passarela.

Segundo a polícia, antes de morrer Giovana tirou uma foto com o celular que prova que o veículo estava em alta velocidade. De acordo com a polícia, a jovem dirigia a 170 km/h e essa pode ter sido a causa do acidente. O celular da jovem foi recolhido pelo Instituto de Criminalística de Itanhaém e passará por análise. O carro foi retirado do local depois de duas horas do acidente e ficou totalmente destruído.

 

Assessoria
Publicidade